5 mitos e verdades sobre o sistema de telemedicina.

A tecnologia vem revolucionando o mundo, e com a medicina não poderia ser diferente. A telemedicina já é uma realidade que encurta distâncias, acelera processos e garante a pacientes de locais distantes dos grandes centros urbanos, acesso a resultados de exames que antes nem conseguiriam fazer.

A melhoria na qualidade de assistência médica é prioridade para essa área. Por isso, conheça alguns mitos e verdades sobre o sistema de telemedicina!

Mito: a telemedicina ainda é pouco utilizada no Brasil

Em outros países, com grandes avanços tecnológicos, o sistema telemedicina já vem beneficiando pacientes e médicos em grande escala. Porém, no Brasil, de forma mais tímida e pouco divulgada, ele está sendo utilizado de forma significativa, isso considerado pelos próprios profissionais da área.

Verdade: a telemedicina é benéfica para clínicas

Diversas empresas médicas ainda não têm o seu quadro clínico completo, com todos especialistas necessários. Nesse caso, a telemedicina pode ser a solução, pois os exames podem ser feitos e enviados para que médicos alocados em outros lugares fornecerem o laudo, agilizando o tratamento do paciente. Assim, é possível fazer um eletrocardiograma e obter seu resultado mesmo quando não houver um profissional da área fisicamente no local.

Mito: a telemedicina é um campo restrito

Com certeza, não! Esse sistema já é utilizado em áreas como a cardiologia (interpretação de eletrocardiograma à distância), neurologia (laudos de eletroencefalograma), radiologia, patologia, enfermagem, oncologia, oftalmologia, assim como em outras segmentações. A tecnologia da informação e telecomunicações, com seus recursos, vem colaborando com a medicina em quase todas as áreas.

VEJA TAMBÉM:  Conheça a incrível evolução da medicina

Além de eliminar as distâncias para que os laudos sejam analisados pelos profissionais certos, independentemente do local, a telemedicina é muito usada na educação continuada e à distância. Por meio dela médicos e enfermeiros se atualizam, assim como os hospitais e clínicas médicas, que fornecem prontuários on-line de pacientes para que as famílias acompanhem o progresso de seus doentes. Ou seja, a tecnologia aliada à medicina traz ganhos reais para todos os lados.

Verdade: a telemedicina é segura

Os profissionais envolvidos nos exames a distância, continuam sob juramento, o que significa que deverão exercer a profissão com ética. Não é possível analisar o resultado de um exame se a qualidade da imagem estiver comprometida, em baixa resolução ou não existir informações suficientes.

O paciente é o bem maior e tudo precisa estar em condições para beneficiá-lo, inclusive já existem Normas Éticas de Utilização da Telemedicina da Associação Médica Mundial, que foram desenvolvidas para regulamentar a modalidade.

Mito: são poucas as vantagens obtidas com a telemedicina

Ao eliminar a barreira física, a agilidade na avaliação de exames é potencializada e, em consequência, vidas são salvas por tomadas de decisão feitas com uma rapidez muito maior. Só para se ter uma ideia, laudos emergenciais são fornecidos em cerca de 30 minutos por meio da telerradiologia.

Alguns fatores estão sendo decisivos para a evolução constante do sistema de telemedicina, como as ferramentas colaborativas on-line, transmissão de vídeo em HD, computação em nuvem, processamento em Big Data e o crescimento vertiginoso da Internet das Coisas. Logo, podemos aguardar muitas novidades nesse campo para os próximos anos.

VEJA TAMBÉM:  Evolução da Telemedicina no Brasil e no mundo

E então, gostou do nosso artigo sobre os mitos e verdades do sistema de telemedicina? Não deixe de compartilhá-lo nas suas redes sociais!

 

 

Photo by: Ilmicrofono Oggiono

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *