6 perguntas e respostas sobre a telemedicina

Telemedicina é a utilização de informações médicas de um local para outro por meio de comunicações eletrônicas, com o intuito para melhorar o estado de saúde clínico de um paciente. A telemedicina inclui uma variedade crescente de aplicações e serviços que utilizam vídeo, e-mail, telefones inteligentes, ferramentas sem fio e outras formas de tecnologia de telecomunicação.

O uso da telemedicina não é novo, e a cada ano, se torna mais eficaz. Ela se espalhou rapidamente e está sendo integrada às operações em curso de hospitais, departamentos especializados, clínicas de saúde, consultórios médicos privados, etc.

Produtos e serviços relacionados à telemedicina são, muitas vezes, parte de um investimento das instituições de saúde, que querem prestar os melhores serviços aos clientes.

Sendo assim, criamos este post com algumas perguntas e respostas sobre a telemedicina. Confira!

Como são os cuidados primários com a telemedicina?

Esse tipo de serviço médico pode ser aprimorados por meio da telemedicina. Consultas entre profissionais de saúde e pacientes podem envolver o uso de vídeo interativo ao vivo ou o armazenamento e a transmissão de diagnóstico.

Sinais vitais e outras informações, como os dados do paciente, estarão sempre disponíveis para que o médico possa acompanhar mais de perto casos especiais.

Como funciona o monitoramento remoto de pacientes?

A utilização de dispositivos para coletar remotamente — da casa do paciente, por exemplo — e enviar dados para uma agência de saúde pode complementar a visita de enfermeiros, dando mais liberdade e dignidade a pacientes que precisam de cuidados especiais, mas não necessariamente querem estar o tempo todo acompanhados.

VEJA TAMBÉM:  Telecardiografia: entenda como é elaborado o diagnóstico

A telemedicina é capaz de permitir a troca de conhecimentos?

A telemedicina permite a educação médica continuada para os profissionais de saúde e para os estudantes. Seminários de educação médica, aulas e treinamentos práticos em cirurgia, por exemplo, podem ser realizados via telemedicina.

É possível realizar cirurgias robóticas?

Nesse tipo de cirurgia, o médico, em vez de usar as próprias mãos, controla um robô, que faz as incisões e ressecções no corpo do paciente. Esse tipo de cirurgia é menos invasiva ao corpo humano e tem mais precisão, trazendo inúmeros benefícios aos pacientes — como a redução das incisões, a menor perda de sangue e a diminuição do tempo de cura e de cicatrização. A telemedicina, portanto, facilita a realização desse tipo de procedimento.

É possível trocar informações entre instituições de saúde?

Em um país grande como o Brasil, esse certamente é um dos maiores benefícios da telemedicina. Qualquer centro médico, mesmo aquele mais afastado dos grandes centros urbanos, pode, por meio da telemedicina, oferecer serviços especializados aos pacientes.

Imagine uma pequena cidade do interior que só possui um médico, o clínico geral. Se essa cidade possuir recursos de telemedicina, poderá enviar exames médicos a um cardiologista. O clínico poderá trocar informações com o colega e prescrever mais corretamente algum remédio ou tratamento para o paciente em questão.

Telemedicina significa o fim da medicina tradicional?

De jeito nenhum. A telemedicina está a serviço do médico e do paciente, e não pretende substituir a consulta presencial. Alguns serviços seguirão sempre sendo prestados pessoalmente. Outros, talvez até se tornem mais comum à distância, mas apenas se isso significar melhor qualidade. O contato direto entre profissional de saúde e paciente é muito importante sempre existirá.

VEJA TAMBÉM:  Conheça a incrível evolução da medicina

Ainda tem dúvidas sobre a telemedicina e como ela funciona no Brasil? Então deixe um comentário!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *