Atletas podem sofrer infarto?

Um atleta pode sofrer infarto?

Em 2013, de acordo com dados do Ministério da Saúde, a cada cinco minutos o infarto foi responsável pela morte de um brasileiro. Frequentemente associada a hábitos de uma vida sedentária e pouco regrada, essa situação acontece basicamente quando não há sangue o suficiente chegando ao coração devido a uma obstrução arterial.

Atletas, entretanto, podem não estar imunes a esse tipo de ocorrência. Por isso, veja a seguir se um atleta pode sofrer com esse tipo de situação e como fazer para prevenir casos como esse.

A importância do teste ergométrico

O teste ergométrico é um teste de resistência e esforço físico que mostra qual é a resposta do coração em determinadas situações, como durante a prática de exercícios físicos. Esse teste é importante porque ajuda a identificar como o coração trabalha quando precisa bombear mais sangue ou quando o corpo experimenta mais oxigenação, por exemplo.

Em seus resultados, é possível encontrar inconsistências ou até mesmo indícios de doenças ou condições cardíacas que sejam impeditivas para a prática de esportes e atividades físicas em geral, especialmente as de alta intensidade.

Devido a isso, este é um teste importante principalmente em academias, de modo que ajuda a identificar possíveis condições cardíacas e evitar que atletas possam sofrer um infarto.

O infarto em atletas

Diferentemente do que muita gente pensa, um atleta não é imune a problemas de saúde, inclusive os cardíacos. Por isso, é, sim, possível que um atleta sofra um infarto, ainda que mantenha um estilo de vida considerado saudável.

VEJA TAMBÉM:  5 mitos e verdades sobre a saúde do coração

Um dos principais motivos para o infarto em atletas diz respeito à má formação congênita ou a condições cardíacas preexistentes e não identificadas. O colesterol elevado também colabora para o infarto do miocárdio e é associado principalmente a hábitos alimentares ruins e ao uso de produtos anabolizantes.

Em casos mais raros, o superaquecimento do organismo pode levar o coração a trabalhar excessivamente, levando a um quadro de obstrução arterial. O mal súbito também entra na lista de fatores que podem levar a um quadro como esse.

Os cuidados necessários para evitar o infarto

Ainda que eliminem o sedentarismo e a obesidade como fatores de risco para o infarto, os atletas ainda precisam tomar alguns cuidados para que possam garantir a saúde cardíaca. Nesses casos, um dos principais cuidados consiste justamente em fazer avaliações regulares, como o teste ergométrico, para identificar possíveis condições cardíacas que possam levar ao infarto.

A alimentação precisa ser balanceada e o consumo de isotônicos e alimentos que acelerem o metabolismo deve ser feito de maneira moderada. Quanto aos anabolizantes, o uso deve ser totalmente extinto e substituído por suplementos indicados por médicos especialistas no assunto.

Não menos importante, é preciso evitar variações bruscas de temperatura, de ritmo e de intensidade da atividade. Por fim, respeitar os limites do organismo evita que o miocárdio entre em falência.

O infarto em atletas é uma situação menos comum do que em pessoas sedentárias, mas, ainda assim, pode acontecer devido a fatores genéticos e também relacionados aos hábitos alimentares e de saúde em geral. Por isso, é altamente recomendado fazer exames, como o teste ergométrico, de maneira regular, cuidar da alimentação e dos hábitos da prática de exercícios. O resultado, além de um corpo em forma, é um coração saudável.

VEJA TAMBÉM:  A importância do teste ergométrico para a prática de exercícios físicos

Você já sabia da existência de casos de infarto em atletas? O que você pensa sobre o assunto? Não deixe de comentar.