Check-up em dia: quais são os exames de rotina e como oferecê-los?

Estar com a saúde em dia é uma das principais preocupações da população hoje em dia. O exercício físico regular e a alimentação balanceada são umas das principais ferramentas para alcançar esse feito, mas não são as únicas. Também é importante e necessário consultar um médico regularmente para a realização de um check-up.

Esses exames de rotina são importantes para todas as faixas etárias — não só para idosos e pessoas com doenças crônicas — justamente porque eles podem detectar precocemente problemas de saúde, prevenindo-os.

Entenda melhor quais são esses exames e como fazê-los.

Importância dos exames de rotina

Muitas pessoas acreditam que, se não estão com nenhum sintoma, é porque estão bem e não precisam procurar um profissional de saúde, mas isso pode não ser verdade. O check-up é um conjunto de exames que visa diagnosticar doenças em pessoas que não sentem sintomas. É uma ação preventiva.

A detecção de doenças em estágios iniciais é o maior benefício da prática de exames de rotina, pois nessa fase há maior chance de um tratamento bem-sucedido e de cura.

Nem sempre os médicos conseguem explicar essa importância aos pacientes, pois eles não vão a consultas. Por isso, os próprios laboratórios e as clínicas que realizam esses exames podem auxiliar nessa campanha, enfatizando a importância do check-up.

Quando fazer os exames de rotina

Como já mencionado antes, há exames de rotinas importantes para todas as idades. É claro que isso depende também da história clínica individual de cada pessoa, que pode levar à necessidade de realização de outros exames.

VEJA TAMBÉM:  Telediagnóstico: 7 razões para uma clínica adotar essa tecnologia

No entanto, há exames que devem ser solicitados para todas as pessoas de certa idade. De modo geral, adultos saudáveis devem fazer um check-up de 2 em 2 anos. Já as pessoas com fatores de risco (obesidade, colesterol elevado), de 1 em 1 ano, assim como idosos. Portadores de doenças crônicas precisam de mais acompanhamento, devendo fazer exames a cada 6 meses.

Exames de rotina por faixa etária

Cada faixa etária demanda exames específicos. Veja a seguir:

  • ao nascer: testes de triagem neonatal (teste do pezinho, audiometria, teste do coraçãozinho e teste do olhinho);
  • até os 20 anos: hemograma, colesterol, glicemia, DSTs, exame de fezes e de urina;
  • mulheres dos 20 aos 65 anos: papanicolau, ultrassonografia transvaginal, mamografia, densitometria óssea;
  • homens e mulheres de 20 a 65: exames de sangue (os mesmos de até 20 anos) e exames de sangue para sódio, potássio, cálcio, ureia, creatinina e enzimas hepáticas;
  • acima de 60 anos: exames das faixas etárias anteriores mais colonoscopia, endoscopia, exame de próstata (para homens) e eletrocardiograma.

Onde realizar check-ups

Quando marcar um médico para a realização de um check-up, é interessante pegar todos os pedidos de exames de uma vez. Se possível, realize-os todos na mesma data ou em datas próximas, para que não haja discrepância nos resultados.

Procure um laboratório confiável que emita resultados em menos tempo, facilitando o diagnóstico precoce.

VEJA TAMBÉM:  Com garantir a eficiência no atendimento de clínicas e laboratórios?

Dicas para laboratórios

É interessante que os laboratórios ofereçam “pacotes” de exames de rotina por faixa etária para facilitar até o próprio pedido do médico. Também ajuda na logística para o paciente se os exames não necessitarem de marcação. Isso aumenta a chance das pessoas realizarem todos os exames e voltarem ao médico com os resultados em vez de abandonar a ideia por dar muito trabalho.

Uma questão muito importante é a agilidade na entrega de resultados. Afinal, os exames só têm valor se estiverem prontos em tempo oportuno, refletindo o real estado do paciente naquele momento.

Uma forma de agilizar essa rotina — beneficiando médicos e pacientes — é fazendo uso da telemedicina. Por meio dela, laudos de exames podem ser emitidos on-line por médicos especialistas, acelerando o processo.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo. Interessou-se pela telemedicina como facilitadora dos processos em saúde? Então confira este artigo e saiba mais!