Check-up em dia: quais são os exames de rotina e como oferecê-los?

Estar com a saúde em dia é uma das principais preocupações da população hoje em dia. O exercício físico regular e a alimentação balanceada são umas das principais ferramentas para alcançar esse feito, mas não são as únicas. Também é importante e necessário consultar um médico regularmente para a realização de um check-up.

Esses exames de rotina são importantes para todas as faixas etárias — não só para idosos e pessoas com doenças crônicas — justamente porque eles podem detectar precocemente problemas de saúde, prevenindo-os.

Entenda melhor quais são esses exames e como fazê-los.

Importância dos exames de rotina

Muitas pessoas acreditam que, se não estão com nenhum sintoma, é porque estão bem e não precisam procurar um profissional de saúde, mas isso pode não ser verdade. O check-up é um conjunto de exames que visa diagnosticar doenças em pessoas que não sentem sintomas. É uma ação preventiva.

A detecção de doenças em estágios iniciais é o maior benefício da prática de exames de rotina, pois nessa fase há maior chance de um tratamento bem-sucedido e de cura.

Nem sempre os médicos conseguem explicar essa importância aos pacientes, pois eles não vão a consultas. Por isso, os próprios laboratórios e as clínicas que realizam esses exames podem auxiliar nessa campanha, enfatizando a importância do check-up.

Quando fazer os exames de rotina

Como já mencionado antes, há exames de rotinas importantes para todas as idades. É claro que isso depende também da história clínica individual de cada pessoa, que pode levar à necessidade de realização de outros exames.

VEJA TAMBÉM:  Como reduzir os custos de uma clínica sem perder a qualidade?

No entanto, há exames que devem ser solicitados para todas as pessoas de certa idade. De modo geral, adultos saudáveis devem fazer um check-up de 2 em 2 anos. Já as pessoas com fatores de risco (obesidade, colesterol elevado), de 1 em 1 ano, assim como idosos. Portadores de doenças crônicas precisam de mais acompanhamento, devendo fazer exames a cada 6 meses.

Exames de rotina por faixa etária

Cada faixa etária demanda exames específicos. Veja a seguir:

  • ao nascer: testes de triagem neonatal (teste do pezinho, audiometria, teste do coraçãozinho e teste do olhinho);
  • até os 20 anos: hemograma, colesterol, glicemia, DSTs, exame de fezes e de urina;
  • mulheres dos 20 aos 65 anos: papanicolau, ultrassonografia transvaginal, mamografia, densitometria óssea;
  • homens e mulheres de 20 a 65: exames de sangue (os mesmos de até 20 anos) e exames de sangue para sódio, potássio, cálcio, ureia, creatinina e enzimas hepáticas;
  • acima de 60 anos: exames das faixas etárias anteriores mais colonoscopia, endoscopia, exame de próstata (para homens) e eletrocardiograma.

Onde realizar check-ups

Quando marcar um médico para a realização de um check-up, é interessante pegar todos os pedidos de exames de uma vez. Se possível, realize-os todos na mesma data ou em datas próximas, para que não haja discrepância nos resultados.

Procure um laboratório confiável que emita resultados em menos tempo, facilitando o diagnóstico precoce.

VEJA TAMBÉM:  O que é telediagnóstico? Descubra tudo sobre a inovação das clínicas

Dicas para laboratórios

É interessante que os laboratórios ofereçam “pacotes” de exames de rotina por faixa etária para facilitar até o próprio pedido do médico. Também ajuda na logística para o paciente se os exames não necessitarem de marcação. Isso aumenta a chance das pessoas realizarem todos os exames e voltarem ao médico com os resultados em vez de abandonar a ideia por dar muito trabalho.

Uma questão muito importante é a agilidade na entrega de resultados. Afinal, os exames só têm valor se estiverem prontos em tempo oportuno, refletindo o real estado do paciente naquele momento.

Uma forma de agilizar essa rotina — beneficiando médicos e pacientes — é fazendo uso da telemedicina. Por meio dela, laudos de exames podem ser emitidos on-line por médicos especialistas, acelerando o processo.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo. Interessou-se pela telemedicina como facilitadora dos processos em saúde? Então confira este artigo e saiba mais!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *