Como clínicas podem lidar com problemas de cicatrização?

A cicatrização é um processo fisiológico de grande complexidade e que ocorre de forma natural na maioria das pessoas. Entretanto, a partir do momento que alguma lesão demora mais que o comum para cicatrizar, a situação precisa ser investigada.

Existem pacientes cujos perfis já determinam essa dificuldade de cicatrização, é o caso dos diabéticos, por exemplo. Conhecendo esses perfis, é preciso preparar a equipe e o serviço de saúde para conduzir e tratar assertivamente esses casos. Afinal, quais são esses perfis e quais são as possíveis soluções para os problemas de cicatrização? Leia a seguir!

Conheça o perfil do seu paciente

Algumas enfermidades apresentadas pelo paciente já determinam se ele apresentará ou não problemas de cicatrização. Dessa forma, é importante que sua clínica recolha as informações corretas a fim de conhecê-los e a partir da coleta de dados bem feita, saber identificar esses perfis.

Diabéticos

A alteração metabólica da doença, agravada por períodos longos de descontrole glicêmico acarreta no comprometimento da circulação sanguínea afetando, consequentemente, o processo de cicatrização.

Além da má circulação, os diabéticos sofrem com a neuropatia diabética, outra consequência comum da doença. Ela faz com que a sensibilidade periférica seja diminuída e o risco de que aconteçam novas lesões e dificuldades na cicatrização é ainda maior.

Enfermidades vasculares

Pacientes que possuem enfermidades vasculares, sejam elas venosas ou arteriais, apresentam grandes problemas de cicatrização. A má circulação sanguínea impede que a cascata de cicatrização ocorra perfeitamente, o que traz prejuízos ao processo.

VEJA TAMBÉM:  6 fatores que podem causar interferência em um eletrocardiograma

Não só as doenças tornam-se problemas de cicatrização

Fatores como a idade avançada do paciente, tabagismo, obesidade, desnutrição, sedentarismo, tratamento de radioterapia ou quimioterapia e o uso de medicamentos corticoides e imunossupressores também interferem diretamente no processo cicatricial.

Aposte em tecnologias resolutivas

Os problemas de cicatrização não são raros sendo possível acontecer em pacientes com diferentes perfis. Entretanto, há um ponto em comum: todos são pessoas sofrendo com uma lesão crônica.

Para resolver esse problema, o mercado oferece opções que ajudam a acelerar o processo de cicatrização.

Oxigenoterapia Hiperbárica

Esse tratamento é realizado na Câmara Hiperbárica onde o paciente é submetido à inalação de oxigênio puro por um período de, em média, uma hora e meia. Estudos afirmam que quando o paciente é submetido ao oxigênio a 100% ocorre a estimulação dos fibroblastos que voltam a sua função normalizada. Além disso, promove a criação de novos vasos sanguíneos com a produção de novas células da pele, acelerando assim a cicatrização.

Cicatrização a vácuo

Como o próprio nome já diz, a terapia é desenvolvida a partir de uma pressão subatmosférica, ou negativa, exercida sob o leito da ferida. Sendo de fácil aplicação, basta que o profissional aplique a esponja de poliuretano estéril em toda a ferida, com o plástico adesivo para vedação, junto à sonda ligada a um sistema a vácuo que drenará todo o leito.

O funcionamento desse tratamento permite a remoção de fluidos da ferida, estimulação do fluxo sanguíneo, promove efeito bactericida, acelera o crescimento do tecido de cicatrização, promovendo então, a aproximação das bordas e fechamento da lesão.

VEJA TAMBÉM:  Como aumentar a eficiência na entrega de diagnósticos?

O que diferencia essa opção de tratamento são características como a comodidade e qualidade para o paciente, aliada a um melhor custo. A troca da esponja pode ser feita semanalmente, o que garante maior conforto, além de reduzir o tempo de internação e os gastos com terapêuticas que não geram mais resultados e antibióticos.

Os problemas de cicatrização podem fazer parte da rotina da sua clínica, mas cabe a você, gestor, optar por tecnologias que sejam resolutivas e apresentem a solução para esse problema. Você tem interesse em conhecer mais a respeito da cicatrização a vácuo? Conheça o Curavac entrando em contato conosco e não perca mais tempo com lesões de difícil cicatrização!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *