Entenda o que é um sistema PACS de uma vez por todas

A sigla do sistema PACS vem do inglês, Picturing Archiving Comunication System, que, na tradução literal, significa “armazenamento e comunicação de imagens”. Essa tecnologia tem sido implantada em muitas instituições de saúde, com o propósito de organizar os resultados dos exames.

Contudo, suas aplicações podem ser ampliadas no sentido de garantir maior produtividade para as empresas em saúde, controle dos arquivos gerados e envio de informações médicas com segurança.

Legal, não é? Quer saber mais sobre essa inovação para as empresas de saúde? Então, aproveite nosso post de hoje e descubra!

Facilidade para integrar informações médicas

Esqueça o cenário de uma central física de arquivos médicos! Agora, todas as informações clínicas dos pacientes podem ser arquivadas nos programas de computador. Os resultados de exames laboratoriais, os laudos radiológicos e as condutas terapêuticas estão salvos nos prontuários eletrônicos.

Além disso, com o sistema PACS, é possível ter acesso a diversos tipos de exames radiológicos, tais como mamografia, tomografia, ultrassonografia, entre outros, e integrá-los ao sistema de informações do radiologista (RIS). Este último, quando integrado ao sistema PACS, possibilita promover links com imagens médicas e rastrear todas as informações relacionadas aos caminhos percorridos pelos pacientes.

Ademais, essa vantagem permite o acesso aos radiologistas que desejam emitir uma segunda opinião médica, conforme os resultados dos pacientes, ou transferir esses dados clínicos para o sistema DICOM e salvar as imagens em JEG ou CD.

VEJA TAMBÉM:  Como conseguir uma segunda opinião médica em exames?

Redução de custos operacionais

Apesar da implantação do sistema PACS requerer um considerável investimento financeiro e treinamento de pessoal, as consequências em longo prazo justificam sua prática. Isso porque esse software reduz os custos operacionais em longo prazo.

A primeira vantagem é a eliminação da impressão de laudos radiológicos, o que corrobora com a tecnologia paperless. Em seguida, pode-se perceber a redução drástica de espaço físico destinado ao arquivo de laudos e exames.

Além do mais, esse sistema apresenta uma espécie de controle de qualidade dos exames, que funcionaria da seguinte maneira: após a inserção dos exames, ocorre uma verificação para identificar falhas nesse processo; se o exame não tiver nenhuma pendência, ele é armazenado; caso contrário, o profissional será avisado a tomar as devidas providências.

Acesso remoto aos dados clínicos

Com o sistema PACS, é possível acessar dados clínicos e radiológicos dos pacientes de forma remota, graças à possibilidade de conectar os dados pela internet de forma segura e com confiabilidade.

O sistema PACS faz todo o serviço para os radiologistas, na medida em que insere os dados, verifica a incompatibilidade e ajuda os médicos na leitura de imagens recuperadas pelos exames. Tudo isso em apenas um programa!

Essa tecnologia é uma evolução se comparada aos filmes radiológicos e às impressoras, porém, não tão eficiente quanto um armazenamento de dados na nuvem.

O sistema PACS é uma plataforma que permite a inserção, a avaliação e o armazenamento de imagens médicas de forma organizada e controlada. Essa tecnologia otimiza os trabalhos médicos, diminui as atividades operacionais e possibilita a concentração na interpretação dos exames. E, como toda inovação, apresenta as vantagens e desvantagens de implantação — por isso esta deve ser bem planejada.

VEJA TAMBÉM:  Qual é o status da telemedicina no Brasil?

Agora que já entendeu as informações sobre o sistema PACS, fique por aqui e leia também sobre como garantir a segurança de dados na Telemedicina!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *