Humanização do atendimento: importância para você e seu paciente?

A melhoria da qualidade dos serviços é, sem dúvidas, um dos maiores desafios dos profissionais de saúde que atuam não apenas no Brasil, mas no mundo. Infelizmente, em algumas instituições, centros, hospitais e postos, o aspecto humano ainda é preterido, deixando as questões emocionais e psicológicas do paciente em segundo plano.

Contudo, a humanização do atendimento vem crescendo no atual contexto e promovendo uma assistência equilibrada em um ambiente colaborativo, em que o próximo é tratado com igualdade.

Essa busca por melhores serviços de saúde objetiva compreender não apenas o estado clínico do indivíduo, mas também os aspectos físicos, psicológicos e sociais, permitindo transcender a doença ao combatê-la de maneira mais humanizada.

Porém, há muitos profissionais que se encontram em dúvidas quanto aos resultados e às possibilidades de cura quando se inclui essa alternativa ao tratamento. Por isso, vamos explicar ao longo deste artigo tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Confira!

A importância da humanização do atendimento

A humanização do atendimento é parte de um plano maior para alcançar mais eficiência, resultados e possibilidades de cura nas unidades de saúde. Quando há integração e uma comunicação mais direta entre os pacientes e usuários dos serviços, os profissionais da saúde e os gestores dos hospitais, clínicas e instituições médicas, cria-se um vínculo mais humanizado entre todas as instâncias.

Dessa forma, se estabelece mais respeito e reconhecimento entre as partes envolvidas, que só tendem a refletir em um atendimento mais eficaz a quem precisa.

Para elucidar de maneira mais objetiva, imagine um paciente que recorre ao profissional da saúde em busca não apenas de resolver seu problema físico ou psicológico, mas também encontrar alívio e conforto pessoal. Humanizar o atendimento significa considerar as necessidades existenciais dessa pessoa, atendê-la com solidariedade e ser capaz de confortá-la.

VEJA TAMBÉM:  Por que oferecer telemedicina para idosos e casas de repouso?

Como implementar a humanização do atendimento na prática

Humanizar o atendimento não se restringe a apenas chamar o paciente pelo nome ou ter um sorriso constante no rosto. É preciso proporcionar um acompanhamento capaz de atender suas necessidades, orientá-lo quanto ao seu estado afetivo, sua sexualidade, a estética, etc.

É necessário compreender seus medos, suas incertezas e angústias. É aplicar o respeito ao outro, prestigiando a vida. Alguns procedimentos podem ser adotados na rotina hospitalar para o emprego eficiente da humanização.

Por exemplo, iniciar a discussão sobre o tema com os profissionais e outros colaboradores que trabalham com você. Esse é o primeiro passo para alcançar um desempenho pautado em valores que prezam pelos aspectos primordiais do homem, começando internamente para tratar o próximo, o paciente, com igualdade e equidade.

Uma vez estabelecido o posicionamento da sua instituição, esteja atento às queixas e reclamações de cunho emotivo — pois um indivíduo mais estável emocionalmente colabora melhor com o tratamento.

A ausência de informações é outro ponto. Comunique-se com o paciente com clareza e sem rodeios. O silêncio e a espera por respostas geram angústia e provocam ansiedade, podendo ir além, lançando dúvidas sobre a eficácia dos tratamentos e do serviço prestado.

Procure também assistir o paciente com conforto, especialmente quando ele estiver à espera de procedimentos que geram incômodos e desconforto físico, como exames de sangue, por exemplo.

Por fim, quando ele estiver em tratamento, procure orientá-lo de maneira personalizada, compreendendo suas preferências e aversões, em vez de apenas lhe dizer o que deve ou não fazer. O diálogo é fundamental.

VEJA TAMBÉM:  4 dicas fundamentais para montar uma clínica de telemedicina

A humanização é importante não só para o paciente, mas para seus colaboradores

Antes de planejar a atuação com um atendimento humanizado no ambiente hospitalar, é preciso que a sua unidade de saúde ou instituição adote também a humanização em sua rotina interna. Isso porque se os profissionais não contam com boas condições de trabalho, eles não podem atender com excelência aos pacientes, pois lhes falta satisfação e assistência necessárias.

Veja o cenário como um conjunto funcional, em que tanto os indivíduos que procuram por atendimento como aqueles que prestam os serviços precisam de solidariedade e empatia.

Promova o diálogo, respeite posicionamentos diferentes e reconheça não apenas as limitações dos outros, mas as suas também. Trate sua equipe como você deseja que seus pacientes sejam tratados. Isso contribui para um ambiente de trabalho mais humanizado.

Além disso, esse comportamento gera relações profissionais de confiança com os colaboradores, colegas e gestores, aumento de produtividade e queda da rotatividade dos funcionários, refletindo também na fluidez e eficácia dos tratamentos ofertados.

A humanização no ambiente de trabalho e as novas tecnologias

As instituições refletem os comportamentos encontrados nas sociedades. Na grande maioria, há falta de diálogo e deficiência de atenção para com seus usuários e clientes. Em alguns ambientes hospitalares, isso se repete.

Há uma desumanização dos contatos interpessoais. Essa postura expõe um cenário carente de contato, de compreensão, respeito e empatia. E é em meio a esse panorama que os profissionais e equipes de saúde podem se destacar, oferecendo uma postura diferenciada, tendo a tecnologia como uma aliada.

VEJA TAMBÉM:  Entenda o que é um sistema PACS de uma vez por todas

Afinal, ela trouxe significativas melhorias no tratamento de pacientes ao longo dos séculos para a medicina, permitindo principalmente a economia de tempo. Agora, a tecnologia deve ser empregada também para se ter um atendimento mais humanizado.

Nesse contexto, a melhoria dos processos de gestão na saúde pode, e deve, partir de maneira articulada aos avanços tecnológicos, para alcançar resultados concretos na experiência de quem precisa ser atendido.

Nesse processo, o prontuário médico pode viabilizar um acompanhamento mais transparente e objetivo, pois por meio dele os profissionais podem se debruçar sobre o histórico e o quadro clínico de cada indivíduo e ampará-lo corretamente.

E quando esse prontuário passa para um sistema informatizado, isso é, eletrônico, torna-se mais acessível para consulta, permitindo um atendimento pautado nas necessidades individuais de cada paciente.

Com a humanização do atendimento todos têm a ganhar, especialmente os pacientes. Eles se sentirão mais confiantes, melhor assistidos e vistos como vidas que importam, não apenas mais um número ou senha.

O processo de humanizar, quando bem direcionado e aplicado, promove uma evolução satisfatória no quadro clínico do indivíduo, visando a qualidade e eficiência dos resultados, por ter um acompanhamento médico como o telehomecare, por exemplo, sem preterir no modo de ser e agir de quem é atendido.

E então, gostou das nossas dicas? Aproveite e informe-se ainda mais lendo sobre as 7 razões para uma clínica adotar o telediagnóstico!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *