Por que clínicas precisam se preocupar com uma segunda opinião médica?

A segunda opinião médica é uma questão importante e necessária tanto para os pacientes quanto para os gestores clínicos.

Diante dos novos conhecimentos científicos e das descobertas tecnológicas que facilitam o diagnóstico e a intervenção terapêutica, é esperado que uma segunda avaliação faça parte da rotina dos pacientes.

Além disso, os gestores das clínicas devem entender que esse procedimento é direito do paciente e cabe ao estabelecimento fornecer estratégias diferenciadas para conquistar a empatia do seu público.

Quer saber mais sobre por que as clínicas precisam se preocupar com uma segunda opinião médica? Continue a leitura deste post e entenda!

Garantir resultados mais precisos

Os pacientes que estão em busca de uma segunda opinião médica querem certificar-se do primeiro diagnóstico.

As causas são diversas e envolvem desde a falta de confiança nos primeiros profissionais até a carência de exames que possam oferecer o parecer final.

Sabendo disso, as empresas clínicas devem ofertar serviços diferenciados, tais como os da telecirurgia e telerradiologia, que fornecem ferramentas de diagnóstico e intervenção mais avançadas se comparadas aos métodos tradicionais.

Adicionalmente, devem melhorar o acolhimento clínico dos pacientes, que já chegam aos consultórios fragilizados emocionalmente e, muitas vezes, sem perspectivas positivas sobre uma nova opinião médica.

Possibilitar novas interpretações clínicas

As queixas dos pacientes sobre os resultados clínicos frequentemente estão relacionadas à pouca assertividade. Nesses casos, os médicos precisam supor um diagnóstico mais próximo, conforme os sintomas relatados.

VEJA TAMBÉM:  Big Data na medicina: como usar dados para promover a saúde?

Essa situação pode ser consequência de equipamentos obsoletos, técnicas ultrapassadas, pouco conhecimento sobre a doença ou profissionais clínicos que não são especialistas no assunto. Tudo isso gera insegurança e descrença por parte dos pacientes.

Portanto, os gestores clínicos precisam adquirir tecnologias em saúde com especificidade e sensibilidade para identificar alterações clínicas em estágios iniciais ou, então, investir em práticas de telemedicina.

Levantar as principais demandas

Para os gestores de clínicas, é fundamental fazer um levantamento das principais solicitações para uma segunda opinião médica e pensar em soluções para diminuir essas queixas.

Serviços de cardiologia, oncologia, dermatologia e cirurgias costumam gerar muita demanda por um segundo diagnóstico. A alternativa para mudar esse cenário seria a aplicação do telediagnóstico, técnica que possibilita uma abordagem completa, mesmo sendo a distância.

Com o levantamento das principais necessidades clínicas, será mais produtivo implantar medidas que resolvam os problemas de diagnóstico, fidelizem os paciente e garantam a sustentabilidade da empresa.

Prezar pela excelência no diagnóstico

Sabendo que a segunda opinião médica é cada dia mais frequente e, às vezes, questionadora demais, os gestores não podem se desestruturar emocionalmente diante dessa situação.

Isso porque muitas clínicas tendem a oferecer técnicas de diagnóstico sem comprovação científica ou em fases iniciais de uma pesquisa clínica (sem permissão), o que pode comprometer fortemente a relação de confiança entre médico e paciente.

VEJA TAMBÉM:  É possível fidelizar clientes em laboratórios de análises clínicas?

Ademais, é importante sempre prezar pela assistência de qualidade e pelo armazenamento de dados, garantindo privacidade das informações clínicas dos pacientes.

Como vimos, a segunda opinião médica é uma questão delicada, mas que precisa ser tratada como direito do paciente e dever da empresa.

Para tanto, os gestores clínicos devem aproveitar essa situação e elaborar estratégias de melhorias, por meio da aquisição de novos equipamentos, do treinamento para acolher os pacientes e da otimização dos serviços prestados.

Conhecendo todos os pontos que levantamos hoje sobre uma segunda opinião médica, você já pode começar a pensar em novos planos para a sua clínica.

E agora, depois desta leitura, convidamos você para continuar acompanhando nosso conteúdo e descobrir também as 4 vantagens de oferecer telediagnóstico e laudos on-line!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *