Vacinas para as doenças do verão seu laboratório esta pronto?

Vacinas para doenças do verão: seu laboratório está pronto?

As mudanças climáticas propiciam o aparecimento de algumas patologias específicas de cada época. As doenças do verão se desenvolvem devido às altas temperaturas somadas à baixa umidade e maior exposição ao sol.

Dentre elas, podemos citar desidratação, diarreias e intoxicações alimentares, que somadas a hepatites, dengue e febre amarela, podem comprometer significativamente o quadro clínico do indivíduo.

Felizmente é possível se prevenir de algumas doenças com vacinas, portanto os laboratórios clínicos devem antecipar suas medidas gerenciais para os serviços solicitados. Quer saber como fazer isso? Então confira o post a seguir!

Demanda laboratorial de vacinas para doenças do verão

Para conhecer a demanda do laboratório, é importante fazer levantamentos das principais vacinas dispensadas ao longo dos meses e relacionar ao status epidemiológico da localidade.

Os dados gerenciais obtidos podem traçar um perfil das necessidades, facilitar o processo de aquisição de vacinas de forma antecipada e ajudar a armazená-las adequadamente até a sua utilização.

Para as vacinas contra hepatites e febre amarela, mantenha o estoque de segurança abastecido o ano inteiro, pois são requeridas constantemente. A vacina contra a dengue deve ser comprada conforme demanda, pois seu custo é elevado e são necessárias três doses para garantir a proteção.

Considere também as características climáticas onde o laboratório está localizado. O verão da região sudeste difere muito daquele vivido por pacientes das Regiões Norte e Sul do Brasil.

VEJA TAMBÉM:  Curativo a vácuo: 5 motivos para utilizar essa tecnologia

Ofereça tratamento humanizado ao paciente

Não basta apenas aumentar o número de doses de vacinas considerando o aumento da demanda. É fundamental avaliar o perfil do paciente que vai ser atendido e tratá-lo da forma mais adequada possível.

Isso significa respeitar os seus anseios, inquietudes e aflições e acolhê-lo de forma objetiva e atenciosa. Esses pilares do tratamento humanizado garantem ótima recuperação do paciente e aumentam de sua satisfação com os serviços prestados.

Por isso é tão importante avaliar as necessidades biopsicossociais do indivíduo, oferecer a terapia preventiva (vacina) após a apuração do seu estado de saúde e realizar a administração de produtos da forma mais segura.

Implante o gerenciamento de filas

Em caso de surtos de doenças, é comum as pessoas procurarem imediatamente os laboratórios clínicos para assegurar sua proteção. Porém, é importante conscientizar a população sobre as indicações, riscos e benefícios das vacinas.

Em casos de aumento exorbitante do número de pessoas, mantenha uma boa gestão de filas, atentando-se às prioridades de atendimento exigidas em lei e aos casos mais graves.

Se o gestor perceber que o estoque não atende à demanda, ele deve montar um cadastro de reserva de doses para garantir à população as vacinas solicitadas após o restabelecimento deste produto biológico.

Saiba atuar em momentos de crise

Nas situações de surtos de doenças do verão, as pessoas ficam desesperadas com a possibilidade de desenvolver alguma delas. Esse cenário é delicado, visto que alguns pacientes reclamam bastante na sala de espera.

VEJA TAMBÉM:  Qual é o status da telemedicina no Brasil?

Os gestores dos laboratórios devem fornecer treinamento contínuo aos seus funcionários para contornar esses momentos de tensão e acalmar os pacientes que aguardam por atendimento.

As doenças no verão exigem cuidados específicos, que envolvem também o uso de vacinas. Por isso, os laboratórios devem se adequar ao aumento da demanda por meio de melhor gerenciamento de estoque de vacinas, atendimento humanizado ao paciente, ótima gestão de filas e treinamento contínuo para contornar momentos de crise.

E você, já se preparou seu laboratório para as doenças no verão? Quais informações e medidas você achou mais relevantes? Quer aprender um pouco mais? Então, não deixe de ler nosso artigo sobre como sua clínica pode aumentar a eficiência na entrega de diagnósticos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *