As melhores novidades sobre saúde, medicina, telemedicina, televeterinária e mais. Confira!

Feira Hospitalar 2018

Internet das Coisas na área da saúde: 6 maneiras de adotar

A Internet das Coisas na área da saúde é uma promessa da medicina em todos os níveis de assistência. Os recursos são infindáveis e as ideias vão surgindo a cada nova tecnologia.

O conceito é amplo e envolve desde inovações tecnológicas que facilitam o cotidiano das pessoas até processadores que integram dados pessoais em serviços administrativos, bancários e clínicos.

A aplicação da Internet das Coisas na área da saúde é inovadora e, por isso, é preciso ficar atento aos novos avanços. Saiba mais sobre o assunto neste post!

1. Homecare para assistência de idosos

É cada vez mais frequente a desinstitucionalização clínica, principalmente de idosos. O tratamento das principais debilidades do envelhecimento ou das consequências de uma grave doença pode ser feito no ambiente residencial com todos os recursos disponíveis.

Para isso, é importante equipar as residências com tecnologias que integrem dados clínicos e imagiológicos dos pacientes, além de dispositivos vestíveis que avaliem constantemente os parâmetros vitais.

2. Aplicativos para descrever o ambiente

Os deficientes visuais poderão se beneficiar fortemente das inovações advindas da tecnologia. Pesquisadores da área de Serviços Cognitivos da Microsoft estão investindo em aplicativos que descrevem o meio ambiente de forma detalhada e detectam possíveis perigos para esses pacientes.

Por meio de óculos inteligentes ou aplicativos instalados nos telefones celulares, será possível descrever o ambiente, ler pequenos textos — tais como o cardápio de um restaurante ou placas de sinalização — e garantir mais independência nas ações. Além disso, esse software poderá identificar emoções dos usuários em uma conversa ou captar os movimentos que acontecem nos lugares públicos.

3. Dispositivos vestíveis para monitorização

Os dispositivos vestíveis são tecnologias implantadas de forma subcutânea ou fixadas na pele que podem monitorar alguns parâmetros vitais. Para os esportistas, essa tecnologia permite a medição da frequência cardíaca, da taxa de oxigenação e o gasto calórico.

Para os portadores de doenças crônicas, são instalados pequenos chips subcutâneos que avaliarão as taxas de glicemia no sangue, hemograma, triglicérides e outras substâncias conforme a configuração e a necessidade clínica dos indivíduos.

4. Telemedicina ao alcance de todos

A telemedicina é a tecnologia que promete evoluções em todos os níveis de assistência, inclusive na rede pública. Trata-se da aplicação de recursos tecnológicos para aproximar os cuidados assistenciais onde a distância geográfica se torna um fator impeditivo.

Nesse sentido, é possível obter um telediagnóstico com especialistas clínicos por meio de videoconferências, discutir casos clínicos com médicos em diversas localidades e emitir laudos radiológicos para instituições de saúde.

5. Big Data na assistência à saúde

A Internet das Coisas evolui de tal forma que hoje é possível ter um perfil completo sobre preferências pessoais e padrão de consumo do indivíduo graças à ferramenta do Big Data. Ela integra dados de diversos sistemas e obtém informações que serão úteis para as empresas.

O Big Data poderá ser aplicado na área da saúde na integração de dados clínicos e condutas terapêuticas dos profissionais que assistem o paciente. Assim será possível prever com mais precisão o prognóstico das doenças e os tratamentos mais efetivos.

6. Hospitais inteligentes para todos

Considerada uma instituição clínica de grande complexidade, os hospitais estão sempre em busca de novidades para melhorar a assistência prestada e otimizar os serviços realizados.

Com base na Internet das Coisas será possível fazer manutenção a distância dos equipamentos médicos acessando os códigos presentes, que encaminharão as solicitações às empresas. Da mesma forma, é possível notificar para a reposição de suprimentos, fazer estatísticas de utilização de máquinas e realizar o atendimento médico a distância dos pacientes ambulatoriais.

A Internet das Coisas é mais uma ferramenta que possibilita cuidados clínicos e hospitalares de excelência. As aplicações são infinitas e ainda tem muito por vir!

E você, gostou das informações sobre a Internet das Coisas na área da saúde? Quer conhecer mais sobre uma das técnicas? Então leia este post e saiba como garantir a segurança de dados na telemedicina!

É possível fidelizar clientes em laboratórios de análises clínicas?

Fidelizar clientes em laboratórios de análises clínicas é uma tarefa gerencial inovadora e desafiadora. E quando alcança esse patamar, a instituição de saúde garante benefícios personalizados ao paciente e conquista maior produtividade em seus serviços.

Para que a fidelização ocorra de forma natural e sem exageros, é importante conhecer o perfil dos pacientes atendidos, as suas principais necessidades clínicas e a forma mais correta de abordar essa questão.

Quer saber como é possível fidelizar clientes em laboratórios de análises clínicas? Então, não perca o post hoje e acompanhe as nossas dicas de como implantar essa estratégia!

Ofereça um atendimento além do esperado

Oferecer um atendimento além do esperado significa atender às expectativas não imaginadas pelo paciente.

Sendo assim, o ambiente deve ser acolhedor, com poltronas confortáveis, e a empresa precisa oferecer variadas opções de lanche para pacientes que realizam exames em jejum.

Também deve-se primar pela rapidez nas solicitações, realizar procedimentos minimamente invasivos e personalizar as orientações pós-exames, principalmente para pacientes que necessitem de cuidados especiais.

Além disso, é sempre importante manter a cordialidade e a educação com os pacientes e os seus acompanhantes, especialmente em situações em que a ansiedade e o nervosismo podem atrapalhar a rotina das atividades.

Facilite o envio e a entrega dos resultados

Uma das principais queixas dos pacientes se refere ao transtorno para buscar pessoalmente os resultados de exames.

Por isso, os laboratórios devem prezar pela comodidade e facilidade de entregar resultados e laudos de exames de diversas maneiras.

Com o advento da tecnologia e da implantação de práticas de telemedicina, já é possível enviar laudos médicos por e-mail e com aplicativos de telefones celulares e tablets. Além disso, essas informações podem ser armazenadas nos prontuários eletrônicos dos pacientes.

A compilação de dados e o histórico dos resultados dos exames é uma estratégia diferenciada, pois, dessa forma, será possível avaliar a efetividade das condutas terapêuticas e acompanhar a evolução clínica e o prognóstico dos pacientes.

Mantenha uma oferta diversificada de serviços

Para garantir a fidelização de um paciente, é preciso ofertar diversos serviços clínicos em uma só empresa. Essa situação facilita a rotina dos clientes que necessitam realizar muitos exames de uma só vez.

Além disso, garante maior produtividade das atividades clínicas e maior leque de serviços oferecidos, impactando positivamente nos aspectos financeiros.

Entenda muito de overdelivering para fidelizar clientes

Todas as atividades que mencionamos até agora neste artigo constituem o conceito de “overdelivering”, ou seja, o atendimento das expectativas para além do esperado.

Esse fundamento garante o atendimento clínico e humanizado dos pacientes, melhora a qualidade dos serviços e possibilita a recomendação para outras pessoas.

Nesse sentido, a proposta de trazer soluções práticas, personalizadas e diversificadas pode ser um diferencial na escolha do laboratório.

Ademais, se a percepção da experiência do paciente vivenciada dentro do laboratório de análises clínicas for positiva, as chances de recomendação serão muito maiores e mais efetivas do que a publicidade paga.

Afinal, os clientes comentam sobre os serviços diferenciados, o tratamento individualizado e o atendimento às necessidades biopsicossociais mesmo em um espaço destinado a serviços rápidos.

E você, já utiliza alguma estratégia para fidelizar clientes em laboratórios? Está atento às novas demandas dos pacientes? Aproveite a leitura e compartilhe esse conhecimento com os seus contatos nas redes sociais!

Conheça 4 promessas do futuro da medicina até 2020

Nos dias atuais em que a inovação e a mobilidade são tendências cada vez mais evidentes, a área médica não é exceção. As novidades alcançam a medicina diagnóstica e de prevenção de doenças, e também trazem mais facilidades a tratamentos.

Hoje há a opção de realização de exames na casa do paciente, algo inconcebível em outros tempos. Avanços em exames simples eliminaram métodos antiquados que só eram possíveis por meio de grandes e invasivos aparelhos.

O futuro da medicina é a inovação. Cada vez mais vemos médicos com conhecimentos avançados a fim de dominar a tecnologia que está presente na área.

A medicina do futuro virá com a finalidade de prever o surgimento de doenças e evitar sequelas graves, além de contar com procedimentos médicos e exames cada vez menos invasivos. Saiba aqui o que o futuro da medicina trará de benefícios para médicos e pacientes!

1. Exames de sangue sem precisar tirar sangue

Muitas pessoas têm trauma ou medo de realizar um simples exame de sangue. Pensando nisso, a tecnologia médica tem procurado formas de trazer conforto para os pacientes. Uma delas será a realização de exames de sangue sem precisar tirar uma gota sequer.

Novos aparelhos estão sendo desenvolvidos para esse propósito e as agulhas já estão com seus dias contados com exames de sangue realizados por um tipo de eletrodo digital.

2. Telemedicina como recurso de atendimento

A telemedicina é um recurso tecnológico que traz ferramentas inovadoras para o atendimento médico. Pode ser utilizada para realizar consultas ou acompanhamento de pacientes, tudo feito por meio da teleassistência, com computadores, telas de videoconferência, dispositivos móveis e aplicativos. A telemedicina é uma inovação que facilita o atendimento aos pacientes, principalmente, aos que moram em lugares remotos.

3. Prontuários eletrônicos

Os prontuários eram feitos com caneta e papel e armazenados em grandes fichários que ocupavam salas e mais salas. Com a chegada do prontuário eletrônico, que já é uma realidade atual, tudo mudou radicalmente.

Além de reduzir o tempo de preenchimento e de erros, diminui o uso de papel e elimina a necessidade de espaços de armazenamento, pois os dados podem ser armazenados na nuvem ou em um único dispositivo.

O prontuário eletrônico integra todas as informações do paciente e do seu estado clínico, otimizando o atendimento.

4. Farmacogenômica

A farmacogenômica estuda a variedade genética de cada paciente e a maneira como respondem a determinados tratamentos médicos. Hoje já se sabe que alterações genéticas no fígado fazem com que um indivíduo apresente efeitos de intoxicação mesmo a doses normais de medicamentos.

A farmacogenômica trará um auxílio nessa questão identificando o paciente de acordo com a composição dos seus genes, a fim de garantir a dose mais adequada de cada medicamento.

O futuro da medicina está interligado com a tecnologia. À medida que ela avança, as análises, diagnósticos e tratamentos também avançam em conjunto, trazendo mais conforto e qualidade de vida aos pacientes e conferindo uma melhor capacidade aos médicos de tratar e curar doenças que antes eram consideradas incuráveis.

A educação médica terá novos aprendizados que terão a ver com a integração de novas tecnologias como forma eficiente de tratamentos médicos e cuidados com a saúde.

Quer saber mais de telemedicina e dos benefícios que o futuro da medicina trará? Então, baixe agora nosso e-book sobre o assunto!

Telecirurgia: descubra o futuro das cirurgias a distância

Cirurgias a distância, realizadas com o auxílio de tecnologias de telecomunicações e robôs, podem parecer algo futurístico, porém, elas já existem há algumas décadas. A primeira cirurgia robótica por teleconferência foi realizada em 1989. Nove anos depois, em 1998, um médico localizado nos Estados Unidos realizou — com o auxílio de robôs — uma cirurgia na Áustria.

No Brasil, a técnica foi experimentada em 2000, quando um médico também dos Estados Unidos comandou um robô para solucionar um caso de varicocele (varizes na bolsa escrotal).

Ainda assim, o conceito de telecirurgia é pouco conhecido, assim como as técnicas e as vantagens de optar por uma operação desse tipo. Por isso, vamos explicar a seguir um pouco mais sobre o tema. Acompanhe!

O que é uma telecirurgia?

A telecirurgia é um serviço possível graças a telemedicina, que proporciona o atendimento de saúde remoto (ou a distância) por meio da realização de consultas, exames e até cirurgias.

Ela é, portanto, uma cirurgia realizada ou monitorada por um médico que não está no mesmo local que o paciente, o que é possível devido ao uso de tecnologias como o telefone, a internet, a transmissão de vídeos e dados on-line, e robôs.

Uma telecirurgia pode ser feita de diferentes maneiras. Um ou mais cirurgiões especialistas em um tipo de procedimento podem, por exemplo, acompanhar a cirurgia por teleconferência, respondendo dúvidas ou dando sugestões quando necessário.

O(s) profissional(ais) podem ainda orientar toda a realização do procedimento, dando o passo a passo para um cirurgião não especialista, ou então comandar por meio de controles os robôs que vão realizar a cirurgia (nesses casos, há uma equipe médica junto ao paciente, não apenas o robô).

Foi esse último tipo de telecirurgia que foi testada no Brasil no ano 2000. O paciente que tinha varicocele estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, acompanhado por uma equipe médica.

O médico que de fato realizou a cirurgia, o urologista Louis Kavussi, estava no Hospital John Hopkins, em Baltimore, nos Estados Unidos. De lá, ele comandou o robô que manipulou o instrumento (laparoscópio) para a realização da videolaparoscopia necessária para a solução do problema.

Quais são as vantagens da telecirurgia?

Em casos em que o paciente precisa de um atendimento especializado mas não tem condições de saúde ou financeiras para ser levado até um cirurgião especialista, a telecirurgia possibilita que ele tenha acesso ao procedimento de que precisa sem que ele ou o médico precisem sair do lugar.

Isso representa uma vantagem ainda maior para locais remotos e de difícil acesso, para onde os aparelhos necessários para a realização de telecirurgias podem ser enviados, beneficiando diversas pessoas. Isso representa maior segurança, inclusive, para aqueles que estão em missões em alto-mar, em locais como a Antártida ou até no espaço.

A telecirurgia também pode funcionar como recurso pedagógico, facilitando o acesso de estudantes de qualquer lugar do mundo ao conhecimento de especialistas. Dessa forma, os futuros cirurgiões podem aprender operações complexas ou aprofundar técnicas. Além disso, as cirurgias realizadas com o auxílio de robôs têm maior precisão, o que diminui chances de erros.

Outra questão é que as telecirurgias têm como um dos seus objetivos desenvolver e trabalhar com técnicas cada vez menos invasivas, para minimizar os riscos envolvidos, principalmente considerando que é difícil prever algumas reações do paciente ao procedimento (uma queda de pressão ou batimentos, por exemplo).

Há questões a serem resolvidas no âmbito das telecirurgias?

No âmbito técnico, é preciso que a troca de informações seja sempre veloz e confiável, por isso, é necessário investir em conexões e equipamentos de alta qualidade.

Outra questão é que, mesmo que o cirurgião responsável esteja em outro local, a cirurgia não pode ser realizada sem a presença de um anestesista, de um cirurgião secundário (que deverá assumir o procedimento caso algo inesperado aconteça) e uma equipe médica.

Assim, em um local remoto, a telecirurgia também só será possível se houver uma equipe disponível. No âmbito ético, ainda há discussões acerca de responsabilidade caso algo dê errado.

Agora que você já aprendeu mais sobre as telecirurgias e a importância desse procedimento para a medicina, aproveite e baixe nosso e-book Telemedicina: tudo o que você precisa saber sobre essa nova tecnologia!

Dificuldades de cicatrização? Conheça 4 tratamentos inovadores

Há diversas situações em que o poder de cicatrização da nossa pele precisa entrar em ação. Porém, em cortes mais profundos, úlceras e outros, o nosso organismo necessita da ajuda de medicamentos e técnicas para conseguir fechar a laceração o mais rápido possível e, é claro, com qualidade.

Uma das preocupações de quem faz cirurgia, por exemplo, é como ficará a aparência da cicatriz. Se o corte foi feito em locais visíveis essa preocupação só aumenta. Nestes casos é importante saber que existem soluções bastante seguras, hoje em dia, para uma cicatrização eficaz. Veja agora quais são as principais técnicas e métodos que existem no mercado.

1. Câmara Hiperbárica

Um tratamento que usa a Oxigenoterapia Hiperbárica, na qual o paciente inala oxigênio puro. É indicada para situações como:

  • Feridas que apresentam cicatrização difícil
  • Úlceras vasculares
  • Traumas nos membros
  • Lesões crônicas em geral
  • Infecções odontológicas e outras

O equipamento é extremamente seguro e o paciente consegue ver toda a movimentação que acontece ao redor dele. Também há uma televisão acoplada e um terminal pelo qual ele pode se comunicar com o médico e a equipe. A técnica melhora os efeitos de medicamentos e das funções do fibroblasto.

2. Cicatrização a laser

Essa técnica consegue estimular diversos sistemas biológicos no corpo humano. Ocorre um aumento da atividade celular, da síntese de DNA e também dos fatores de crescimento. Veja outros efeitos desse tratamento:

  • Mais fagocitose
  • Elevação na produção de linfócitos
  • Intensificação da reabsorção de fibrina e colágeno
  • Diminui a produção de agentes inflamatórios

O laser possui várias vantagens além da cicatrização mais eficaz. Ele diminui os casos de edema, ajuda a preservar os tecidos e nervos do local aplicado e também reduz a área dolorosa.

3. Cola cirúrgica

Muitos profissionais e clínicas já estão utilizando esse método de cicatrização. Um dos grandes benefícios é o fato de quase não deixar marcas na pele. O procedimento realizado para a aplicação é bastante simples:

  1. Passa-se uma camada de cola nas bordas do corte
  2. Coloca-se um adesivo de poliéster
  3. Por fim, mais uma camada de cola

Em cerca de 2 semanas, o corte já está cicatrizado e com o passar dos meses, o local ficará mais claro e com uma aparência mais suave.

4. Curativo a vácuo

É realizado por meio de um aparelho que exerce um tipo de pressão negativa, ou seja, uma pressão que está abaixo da atmosférica. Isso dá a esse método um outro nome bastante conhecido: curativo com pressão negativa ou técnica assistida a vácuo.

O profissional coloca um curativo, um tipo de espuma de poliuretano, dentro da ferida recoberto por um plástico que fecha o espaço. É nele que acontecerá a aplicação da pressão abaixo da atmosférica. Também há um sistema que ajuda a drenar as secreções locais. Os benefícios apresentados por esse procedimento são:

  • Melhora a circulação local
  • Aumenta a granulação
  • Atrai os limites da ferida para o centro
  • Reduz o edema

Com tudo isso, o objetivo do tratamento, que é a aceleração da reparação tecidual, consegue ser alcançado sem dificuldade.

Se você quer saber um pouco mais sobre como o método de cicatrização a vácuo funciona, então veja alguns motivos pelos quais você deveria utilizar essa técnica.

CEO da Ventrix, tem matéria publicada na revista Forbes

Matéria sobre a inovação tecnológica da Ventrix é destaque na revista Forbes, um dos principais veículos influenciadores do mundo voltado a economia e negócio, em edição sobre “os melhores CEOs do Brasil”.

A matéria “Os Caminhos da Inovação”, é uma iniciativa criada pela Desenvolve SP que mostra quem são os donos das mentes inovadoras por trás dos negócios de sucesso. “O visionário que conecta corações”, esta foi a definição dada pela matéria ao Roberto Castro Jr., Founder e CEO da Ventrix, empresa que desenvolveu uma solução inovadora na área da telemedicina, o sistema Cardiofit.

Segundo Roberto, integrar tecnologia e internet aos cuidado com a saúde das pessoas foi o que o motivou a desenvolver um sistema de telemedicina inovador, capaz de reduzir o deslocamento, tempo e até custos que envolvem a realização de exames cardiológicos. O Cardiofit permite que pacientes de regiões distantes tenham acesso ao exame, pois, segundo a Forbes, ainda existem diversas regiões Brasileiras carentes de profissionais e equipamentos para a realização de exames.

Graças a inovação do projeto, a Ventrix recebeu aporte financeiro de importantes fundos de investimento, como o Fundo de Inovação Paulista e o Criatec 2, que juntos investiram mais de R$ 5 milhões nos projetos da empresa. Hoje, além do sistema Cardiofit, a Ventrix atua com outras soluções inovadoras, como o Curavac – equipamento que acelera a cicatrização de feridas complexas utilizando vácuo e o BabyHug – dispositivo que monitora saúde e bem estar de bebês.

Gostou, então assista a entrevista completa que Roberto Castro Jr. deu para Martha Gabriel, na web série “Os Caminhos da Inovação”: http://bit.ly/2fIgFHG

Aproveite para comentar o que você achou da matéria da Forbes.

ECG de repouso: por que as academias devem exigir esse exame?

Praticar uma atividade física é importante para quem procura manter a forma com uma vida mais saudável. Por isso, muitas pessoas decidem entrar para uma academia ou fazer exercícios por conta própria.

Esses passos são importantes para conquistar um corpo perfeito e ter mais saúde, mas antes de começar, é preciso consultar um médico especialista e realizar exames físicos, que podem variar de acordo com a atividade. Um desses exames é ECG de repouso. Mas o que vem a ser esse exame?

O que é o ECG de repouso?

O ECG de repouso é um exame que faz o registro da atividade elétrica do coração. Mais conhecido como eletrocardiograma, esse procedimento é capaz de identificar a quantidade de batimentos cardíacos por minuto, sobrecargas no coração, bem como checar o ritmo cardíaco para ver se não há alguma alteração, como arritmias e outros problemas.

Que exames devo fazer antes de praticar exercícios?

Antes de começar a se exercitar regularmente, é importante checar a sua saúde e fazer alguns exames para identificar possíveis problemas.

Eletrocardiograma de repouso é um exame que “fotografa” o coração, faz um registro dos batimentos cardíacos e é complementado com o exame ergométrico (de esforço).

O teste ergométrico é feito acompanhado pelo médico. O paciente fica em uma esteira, onde faz diferentes níveis de caminhada. Por meio de monitoração, o especialista pode identificar como o coração se comporta também com o esforço.

Exames de sangue também são necessários, visto que detectam quase tudo. Esse tipo de exame pode apontar a existência de diabetes e identificar taxas altas de colesterol e triglicerídeos, por exemplo.

Quem não tira um tempo para realizar esses exames e averiguar a saúde antes de praticar exercícios — acreditando que, por estar aparentemente bem, não terá um mal súbito durante os esforços — deve pensar duas vezes!

Quais são os riscos de treinar sem uma avaliação médica?

É de extrema importância realizar uma avaliação médica antes de frequentar uma academia, porque algumas atividades exigem bastante do corpo. Uma aula de spinning é um bom exemplo disso. Durante a prática, os níveis de pressão sanguínea podem se elevar muito e a pulsação aumenta de frequência — daí a importância de estar saudável para praticá-la.

Se o resultado do ECG de repouso for normal, o risco de um infarto é quase zero, mas se há alguma alteração no exame que indique doença cardíaca ou hipertensão, a pessoa corre o risco de ter uma arritmia, um infarto ou, no pior dos casos, uma morte súbita durante a prática de exercícios. Por isso, a prevenção por meio de exames é sempre o melhor caminho.

Muitos acreditam que apenas um atestado é suficiente, mas profissionais sérios de educação física são a favor da exigência de exames como o ECG de repouso e o ecocardiograma de esforço antes de iniciar uma atividade física.

Você conhece donos de academia que cumprem esse tipo de exigência e pedem um exame de ECG de repouso para que as pessoas possam realizar atividades físicas? Tem algum tipo de experiência no assunto? Deixe um comentário!

Por que o telehomecare é a medicina do futuro?

O telehomecare é um sistema por meio do qual é possível prestar atendimento ao paciente em casa, por meio do uso de tecnologias de comunicação remotas. A implementação desse sistema — com o qual pode-se também realizar coletas e exames — tem por objetivo gerenciar pacientes com doenças crônicas, principalmente as cardíacas, diabetes, entre outras, que podem ser ter acompanhamento seguro ao mesmo tempo que se garante o conforto e o bem-estar do paciente.

Neste post, reunimos algumas informações sobre por que o telehomecare é a medicina do futuro. Confira!

O crescimento do telehomecare traz benefícios para pacientes

O telehomecare consiste em tratar o paciente em casa, por meio de gadgets de monitoramento remoto. É uma tendência crescente, que irá impactar diversos mercados relacionados à área de saúde. Esse crescimento deve chegar, em 2019, a 17,7% por ano, com investimentos de mais de 43,4 bilhões de dólares, de acordo com pesquisas da BBC Research.

As vantagens do atendimento Telehomecare

Alguns procedimentos e diagnósticos médicos atualmente já são possíveis graças ao telehomecare, e a tendência é que novos tratamentos comecem a ser realizados por meio desse sistema também. Alguns dos procedimentos já disponíveis são:

Diagnósticos de problemas oculares à distância

Exames como a retinografia já podem ser realizados via telehomecare. Isso evita que o paciente precise perder tempo em filas, e diminui-se muito o tempo de espera para os exames.

Com o sistema telehomecare, o exame é feito da seguinte forma: sem a necessidade de dilatar a pupila, é feita uma fotografia panorâmica de 270 graus da retina. Com o uso do retinógrafo, as imagens podem ser digitalizadas e enviadas via internet. Esse procedimento pode ser realizado por um técnico na área em qualquer lugar do mundo, e pode ser enviado para qualquer localidade.

Diagnóstico de problemas cardíacos a distância

Já existe há algum tempo uma rede em hospitais que identifica e monitora via telehomecare pacientes que sofrem de problemas cardíacos agudos. Utiliza-se, para isso, um equipamento conhecido como Point of Care Test, uma máquina portátil do tamanho de um cartão de crédito. No exame realizado com esse aparelho, verificam-se níveis de troponina, um marcador de necroses, sendo possível diagnosticar angina ou infarto.

O exame é basicamente um eletrocardiograma, que é transmitido por sinal de telefonia celular para o local onde há cardiologistas de prontidão, que irão recebê-lo e emitir o laudo em tempo real.

Resultados de exames de diabetes via telehomecare

A mais recente forma de atendimento via telehomecare está relacionada à captura de dados originados em equipamentos utilizados por diabéticos para coleta e medição da glicose no sangue.

O custo desse procedimento cai mais de 10 vezes, de acordo com o doutor Luiz Tizzato, CEO de uma empresa do ramo de tecnologia para a medicina, quando realizado por telehomecare.

Os dados são coletados e enviados a centrais de atendimento, onde há uma equipe médica alerta, caso haja a necessidade de intervenção especial. Isso tem reduzido o número de internações e de idas e vindas a postos de saúde apenas para medir a glicose.

A utilização do telehomecare, além de reduzir custos e o tempo de espera, tem facilitado bastante na hora de obter diagnósticos, resultados de exames e até mesmo a opinião de vários médicos.

Você conhecia o telehomecare? O que achou desse serviço? Deixe o seu comentário!

ApexBrasil auxilia no crescimento da Ventrix

Agência responsável por promover exportações brasileiras e atrair investimentos estrangeiros, a ApexBrasil tem papel fundamental no desenvolvimento da Ventrix.

No início deste ano, com seu apoio, a Ventrix conseguiu um sócio investidor. A relação já trouxe melhorias no processo de produção: até o final de 2016, o número de laudos emitidos por mês vai passar de 3 mil para 8 mil.

O sócio proprietário da Ventrix, Roberto Castro Junior, comenta os benefícios da parceria: “A Apex traz investidores com conhecimento, que auxiliam muito na escala do negócio. Não são simplesmente pessoas que vêm, colocam dinheiro na sua empresa e fazem cobrança. Eles também ajudam no desenvolvimento da empresa.”

As startups são empresas nascentes que trabalham com soluções inovadoras e a Ventrix tem como objetivo democratizar a realização de exames cardiológicos com a emissão de dados online. E neste caso, a empresa foi destaque no canal ApexBrasil no Ar, em reportagem do dia 8 de dezembro. Veja na íntegra nesta página.

Ventrix lança novo software para o Cardiofit

A Ventrix acaba de lançar um novo software para o Cardiofit: mais moderno, mais versátil, fácil de usar e compatível com todas as versões Windows, inclusive para tablets.

O cabo de 5 ou 10 vias atende às 12 derivações, sem a necessidade da troca de pera. A captação dos sinais é muito mais rápida, facilitando o uso em crianças, por exemplo.

Nosso cliente agora tem total domínio sobre suas listas de usuários e operadores. A instalação em rede local ficou muito mais simples e, para quem faz seu próprio laudo, é possível agora manter o Cardiofit em uma sala e o médico laudando em outra, sem qualquer problema.

Cardiofit VentrixCabo de 5 ou 10 vias

Mais versátil e durável. Transmite os sinais sem mudar as peras de lugar

 

windows-10-logoCompatibilidade

Compatível com todas as versões de Windows, inclusive para tablets

 

redeInstalação em rede

Facilidade para instalar em rede local, com maior controle pelo cliente

 

Se você já é nosso cliente e tem um equipamento Cardiofit novo, basta instalar o novo software. Se seu equipamento é antigo, será necessário trocá-lo.

Entre em contato com nosso suporte para mais informações:

Skype: suporte.ventrix (35) 3629-1621

Para informações comerciais:

Skype: comercial.ventrix (11) 2690-4531

Laudos de ECG são feitos pelo Incor

Quando se fala em coração, o Incor – Instituto do Coração, da Universidade de São Paulo, é referência no país e na América Latina. Lá se concentram muitos dos melhores cardiologistas do mundo. E uma equipe trabalha diretamente com a Ventrix, todos os dias: são os médicos da Unidade de ECG, responsáveis por grande parte dos nossos laudos de ECG.

O médico cardiologista Carlos Alberto Pastore, diretor da Unidade de ECG do Incor, lembra que a atividade de fazer laudos à distância começou há exatos 40 anos, em 1975. “Naquela época, os médicos enviavam os exames por fax, principalmente para ouvirem uma segunda opinião”, conta.

Carlos Alberto Pastore, do Incor - Laudos de ECG

Carlos Alberto Pastore, do Incor

Pastore diz que o trabalho pioneiro foi referência inclusive para outros países. “Criamos um layout para padronizar os exames, que na década de 90 começaram a ser transmitidos por e-mails. A qualidade nem se compara com a que temos atualmente, mas era possível olhar os laudos e dar a nossa opinião.”
Atualmente os laudos de ECG são transmitidos pela internet, como os realizados com o equipamento Cardiofit, da Ventrix. “A qualidade é muito boa e não deixa dúvidas. Nossa equipe é extremamente qualificada e consegue detectar qualquer problema com o paciente, seja adulto ou criança”, diz Pastore, que coordena uma equipe de quatro médicos, responsável por mais de 10 mil laudos mensais.

Para Pastore, a grande vantagem dos laudos à distância é a possibilidade de levar a opinião de especialistas qualificados aos lugares mais remotos, que não contam com cardiologistas. “Além da agilidade no tratamento, isso evita custos para as prefeituras, que muitas vezes precisam transportar pacientes de uma cidade a outra para fazer exames”, finaliza o médico.

Ventrix facilita realização de exames cardiológicos

52% dos municípios encaminham pacientes para realizar exames, como exames cardiológicos, em outras cidades por falta de infraestrutura em suas unidades de saúde, revela pesquisa Perfil dos Estados e dos Municípios Brasileiros, divulgada pelo IBGE no final de agosto.

Essa é uma das realidades que a Ventrix está ajudando a mudar. Com o Cardiofit, um aparelho leve e portátil, é possível realizar exames cardiológicos, como por exemplo: ECG de repouso ou esforço em qualquer lugar. Os exames são armazenados em um computador ou tablet e enviados pela internet à Central Médica Ventrix, onde cardiologistas de plantão emitem o laudo e enviam de volta para o local em que o exame foi realizado. Tudo isso 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Cardiofit - Equipamento ECG - Exames Cardiológicos

“A falta de cardiologistas e de equipamentos para a realização de exames de eletrocardiograma e testes ergométricos na maior parte dos Estados e municípios do Brasil leva a uma ineficácia no diagnóstico e tratamento das doenças do coração. Com o Cardiofit, permitimos que mesmo centros de saúde de pequenas cidades em regiões remotas atendam os pacientes, enviem os exames pela internet e recebam rapidamente os laudos de médicos especialistas que trabalham em cidades onde há maior oferta de profissionais especializados”, diz Roberto Castro Júnior, sócio-proprietário da Ventrix e doutor em Engenharia Biomédica pela Universidade de São Paulo.

A revolução promovida pelo Cardiofit está justamente na maneira como os pacientes passam a ser atendidos, independentemente da disponibilidade de médicos em suas regiões. A operação do equipamento é simples e pode ser feita por qualquer técnico.

O modelo de negócios da Ventrix para o Cardiofit inclui a venda, comodato e licenciamento dos produtos e a prestação de serviços de laudos. Nas clínicas que contam com a presença de um cardiologista, o equipamento é vendido. Já quando não há especialista para atendimento, é feito um contrato de comodato no qual o nosso cliente recebe o equipamento sem custo, desde que contrate um pacote de laudos por um período mínimo de um ano.

Para mais informações, entre em contato conosco.